Um truque com água e whisky

Truques são sempre muito interessantes de se ver. Um envolvendo whisky, então, mais legal ainda.

Encha um copo até a boca com a bebida, faça o mesmo com outro, mas com água. Depois, coloque-o um em cima do outro, utilizando uma carta de baralho para separá-los. O vídeo abaixo vai te mostrar o resultado:

The Whisky Water Trick from Casey Neistat on Vimeo.

Jack Daniel’s e a árvore de natal feita com barris de whisky

Jack Daniels e a árvore de natal feita com barris de whisky
O natal está por vir e nada melhor que as tradicionais árvores e seus enfeites para simbolizá-lo. E sempre há quem inove na hora de montar alguma delas.

E foi o que fez a Jack Daniel’s, uma das mais famosas marcas de whisky do mundo. Ela pegou 140 barris da bebida e, com eles, criou uma grandiosa e belíssima árvore de natal na cidade de Lynchburg, nos EUA. A ação promocional foi planejada pela agência Arnold Worldwide e acabou virando o spot de TV de final de ano da Jack Daniel’s.

A campanha mostra que sempre há uma nova forma de divulgarmos uma marca e tocarmos o coração das pessoas simultaneamente. Confira abaixo mais fotos, sendo que depois tem dois vídeos, um com o spot e outro com o seu making of:

Jack Daniels e a árvore de natal feita com barris de whisky

Jack Daniels e a árvore de natal feita com barris de whisky

Receita de natal: Panetone com Whisky – ingredientes e como fazer

Receita de natal: Panetone com Whisky   ingredientes e como fazer
O natal está chegando e com ele temos a oportunidade de colocarmos a mão na massa para fazermos aquelas receitas de final de ano que sempre quisemos. E uma delas é bem peculiar, já que envolve o nosso famoso whisky e um dos principais representantes da culinária dessa época, o panetone.

E caso você queira saber como fazer essa gostosura, abaixo vai todo o procedimento para você degustá-la:

Ingredientes:

Massa e recheio:

175g de passas
175g de passas amarelas
175g de tâmaras secas sem sementes picadas
150g de cerejas ‘glacê’- clique aqui para ver a foto pois não sei bem como traduzir – só as consumo em bolos de Natal
100g de pêras ou maçãs semi secas picadas – elas não são secas como passas, por exemplo, são mais suculentas
75g de gengibre cristalizado picado bem fininho
Raspa de 1 limão grande – usei do amarelo (siciliano?)
250ml de whisky
175g de manteiga em temperatura ambiental amolecida
175g de açúcar mascavo
4 ovos levemente batidos
200g de farinha de trigo com fermento, peneirada
1 colher de sopa de “golden syrup”
2 colheres de chá de allspice que é uma mistura de canela, cravo e noz moscada em pó
150g de nozes partidas na metade, tostadas no forno

Cobertura de whisky:

450g de açúcar de confeiteiro
150g de manteiga em temperatura ambiente amolecida
3 ou 4 colheres de sopa de whisky

Como fazer:

Pegue os primeiros 7 ingredientes e ponha numa vasilha, misture com uma colher e jogue o whisky por cima. Cubra, deixando de molho por 24 horas ou até que as frutas tenham absorvido toda a bebida. Sugiro que sacuda a vasilha em alguns momentos nesse período.

Pegue uma forma de 20 cm, unte e forre duplamente com papel manteiga (tanto o fundo como as laterais – o papel das laterais deve ficar mais alto do que a forma).

Pegue as frutas secas que você deixou de molho e jogue no processador para que sejam trituradas até formar uma pasta.

Pre-aqueça o forno – 150oC.

Ponha a manteiga e o açúcar numa vasilha e bata bem até que a mistura fique clara e cremosa.Acrescente os ovos, um de cada vez, batendo bem após cada adição. Jogue um pouco de farinha se notar que a mistura não está ficando homogênea.

Acrescente a farinha de trigo, o resto das frutas, o golden syrup, o allspice e as nozes. Usando uma colher de pau mexa tudo. Transfira a mistura para a forma e leve ao forno.

Quando o bolo ficar pronto (faça o teste do palitinho bem no centro) deixe esfriar na forma por 1 hora antes de transferir para uma grelha.

Ponha todos os ingredientes da cobertura numa vasilha e bata até que a mistura fique cremosa e pronta para ser espalhada no bolo. Feito isso, coloque no bolo, decore e sirva.

Fonte: Trem Bom

“Whisky de A a Y”: livro revela tudo sobre os whiskys

Whisky de A a Y: livro revela tudo sobre os whiskys
Os amantes do whisky ou mesmo aqueles que apenas querem conhecer um pouco mais da bebida têm uma excelente opção de leitura nas livrarias. Trata-se de Whisky de A a Y: o guia perfeito para um bom apreciador, da autora Helen Arthur.

Lançado pela Editora Gutenberg há alguns meses, a obra esmiuça fatores históricos, indo desde a primeira fabricação registrada, passando pelo começo de sua tributação, os altos e baixos de sua produção e as sanções de leis secas, até chegar à atualidade, traçando um panorama histórico do destilado tanto na Escócia como em outros países.

Com a experiência de quem trabalhou por mais de 25 anos para grandes marcas da indústria do whisky, Helen relata em detalhe o processo de fabricação e degustação dos principais fabricantes ao redor do mundo, indicando a forma correta de utilizar os sentidos para apreciar as propriedades do Whisky, como cores, viscosidades, sabores, aromas e texturas. Além da lição de história e das dicas sobre os sigle malts e os blends, a obra também conta com um guia sobre os principais fabricantes destas bebidas, com a descrição completa de cada uma delas.

Ficha técnica do livro:

Páginas: 160
Formato: 16 x 23
Acabamento: brochura
Editora: Editora Gutenberg
Editora origem: Running Press Book Publisher
Edição: 1

Dica: Whisky falso, como descobrir

Dica: Whisky falso, como descobrir
A falsificação é algo crescente no mercado paralelo de bebidas e com isso é bom estarmos atentos para não sermos enganados.

E uma das bebidas mais falsificadas no Brasil e no mundo é o Whisky, muito pelo seu alto preço e pela sua grande procura. Mas saiba que há maneiras de você não ser passado para trás na hora de comprar aquela tão sonhada garrafa.

Como saber se o whisky é falso?

O primeiro passo para saber se o whisky é falso é olhar dentro da garrafa e perceber se existe, atrás do rótulo principal em seu interior, um número de série do produto. O segundo passo é verificar se este número de série também se encontra dentro da garrafa da bebida.

É necessário, ainda, verificar se o selo do IPI está intacto, envolvido por um lacre de segurança da DIAGEO. Se não constar nenhum selo, saiba que produto é falso ou fruto de contrabando.

Outra maneira, mais peculiar, de verificar a veracidade do whisky é esperar a bebida descansar na garrafa e dar uma leve batida na garrafa com uma caneta. Depois, deve-se balançá-la diversas vezes e tocar com a caneta novamente. Se o barulho do primeiro toque for diferente do segundo, o whisky é original, já que esta mudança significa que o malte se misturou ao produto.

Para finalizarmos, uma outra forma de verificação é balançar bem a garrafa e perceber se as bolhas e a espuma somem com rapidez. Se isto acontecer, o whisky é original.

Há ainda novas formas de termos a certeza que a bebida é original, como o laser criado na Universidade de St Andrews, mas elas ainda estão longe de serem algo acessível a todos.

Assim, para evitar transtornos, fique sempre atento e tente realizar a compra da bebida em lojas seguras e certificadas para a venda deste tipo de produto. Depois é só degustá-lo e aproveitar o momento da melhor maneira possível.

Whisky com energético – benefícios e malefícios

Whisky com energético   benefícios e malefícios
Difícil você ir à uma balada e não ver inúmeras pessoas tomando whisky com energético. Mas fica a dúvida, essa é uma boa mistura? Vejamos as principais consequências dessa junção.

Em relação ao sabor final, isso dependerá do gosto de cada um. Mas é bom saber que, se ingerido com um whisky de qualidade, o energético irá modificar por completo um sabor que demorou até 8 anos para estar pronto. Será que vale mesmo a pena?

Whisky com energético faz bem ou mal ao organismo?

O lado bom do energético é que ele nos deixa mais acesos e com mais disposição para encarar horas de uma festa ou um show. Em compensação, o consumo de energético com whisky ou mesmo com outras bebidas alcóolicas e até puro, também pode acarretar alguns riscos a quem o ingere em demasia. Isso, porque eles contém bastante de cafeína e misturados com o álcool reduzem a sensação de sonolência provocada pelo mesmo. Contudo, os reflexos da pessoa continuarão debilitados. Além disso, recentes estudos mostraram que o energético, por acelerarem o músculo cardíaco, pode causar problemas ao coração de quem o bebe em grandes quantidades e também causar desidratação.

Conclusão, ingerir energético, por mais que o sabor seja bom e que nos deixe com bastante energia, deve ser feito com parcimônia. Caso contrário, poderá mascarar o efeito do álcool em suas ações e ainda prejudicar sua saúde.

Aplicativo do Whisky Chivas para iPhone e iPad

Aplicativo do Whisky Chivas para iPhone e iPad
Imagina se você tivesse um aplicativo em seu celular que te mostrasse o bar mais próximo para você tomar aquela bebida tão desejada? Legal, não? Pois saiba que ele existe.

O whisky Chivas lançou um para iPhone e iPad, que lhe fornece os dados para que você encontre os bares mais próximos de onde você estiver no momento. E não para por aí, ele também traz dicas de drinks para você fazer, músicas indicadas pelo Chivas e, por fim, algo ainda mais útil.

O aplicativo dá a você a possibilidade de chamar um táxi de forma rápida, para você não ter problemas para chegar em casa após aquela bebedeira. Curtiu? Basta clicar aqui, curtir a página do Facebook do Chivalry Club e fazer o download do aplicativo do whisky Chivas.

Coleção Johnnie Walker Blue Label pelo estúdio da Porsche

Coleção Johnnie Walker Blue Label pelo estúdio da Porsche
Imagine o estúdio de design da Porsche fazendo uma coleção para o Johnnie Walker Blue Label? Pois isso ocorreu e saiu algo pra lá de sensacional.

Dessa união foram criadas três peças. A primeira, chamada The Chiller, é uma garrafa de Blue Label que vem numa embalagem metade em titânio escovado e metade em couro azul e com uma tampa, também de titânio, que se transforma em um belo balde de gelo. Valor: 240 libras.

A segunda peça é a The Cube, uma versão mais robusta da anterior, onde o cubo é feito dos mesmos materiais, a tampa também vira um balde de gelo, mas há um plus. O seu interior conta com uma garrafa numerada de Johnnie Walker Blue Label, 4 copos de cristal e um pegador de gelo em aço inox. Valor: 490 libras.

Coleção Johnnie Walker Blue Label pelo estúdio da Porsche

Já o terceiro e e mais caro item da coleção, o Johnnie Walker Blue Label Private Bar, traz uma luxuosa peça feita em titânio escovado, couro, vidro e outros materiais, com 2,20 metros de altura, 65 cm de largura e 450 kg. A abertura é feita por sensor de movimento, que revela três garrafas, copos, balde, recipiente para água gelada e uma iluminação especial. Valor: 100.000 libras. Você pode comprá-lo clicando aqui. Corra, serão fabricadas apenas 50 unidades.

Fonte: Bem Legaus

Quais os tipos de Whisky (Uísque)?

Quais os tipos de Whisky (Uísque)?
Por mais que seja famoso em todo mundo e consumido por milhões de pessoas, nem todos conhecem quais são os tipos de Whisky (Uísque). Afinal, para a grande maioria, há apenas um deles e o que muda é apenas a marca. Mas eles estão equivocados.

As variações da bebida podem ser distinguidas devido a base de produtos, teor alcólico e qualidade, sendo quatro a quantidade delas.

Quais são os tipos de whisky:

Single Malt Whisky : são originiários de uma única destilaria, mas de barris e anos diferentes.

Whisky Vatted: é composto pela mistura de um mesmo tipo de whisky malte de destilarias diferentes, e consequentemente, de barris diferentes.

Grain whisky: destilado de grãos, principalmente do trigo, milho e centeio.

Whisky Blended: o mais popular de todos, é a mistura de grains e single malts e normalmente possui na sua composição cerca de quarenta uísques diferentes.

Whisky Cask Strength: são raros e somente os melhores são engarrafados assim, sempre sem diluição. Cabe à pessoa que vai bebê-lo dilui-lo (com água) ao teor aceitável ao seu gosto.

Novo laser aponta se Whisky é falso

A pirataria é um dos problemas mais sérios enfrentados por fabricantes de bebidas, mas novas formas de combatê-la sempre surgem.

Foi o que houve na Universidade de St Andrews, na Escócia, que criou uma máquina que emite um raio laser finíssimo que, ao ser filtrado por uma fibra e apontado para um whisky, analisa se o líquido é mesmo original ou não. O teste verifica a porcentagem de álcool ( se têm menos de 40%, quantidade considerada ideal, já é um whisky pirata), cor, textura e até mesmo a idade e a marca da bebida.

Em entrevista para o jornal britânico Daily Mail, Praveen Ashok, uma das responsáveis pelo projeto, disse falou sobre a invenção, “a falsificação é um dos grandes problemas enfrentados pela indústria de bebidas, que está sempre em busca de novas e baratas maneiras de analisar os líquidos. Com uma simples luz, conseguimos resolver um problema de todo um mercado que é fundamental para a economia e cultura da Escócia”.

Resta saber quando o laser que identifica whiskys falsos vai estar à venda.